Distribuição de GLP: o elo em que a regulação não pode se dar o luxo de cometer equívocos

Em artigo no Jota, Vinicius Marques de Carvalho debate a regulação do mercado brasileiro de óleo e gás e opina que a ANP precisa focar sua agenda regulatória nos gargalos reais do setor.

“O que se observou, ao longo de 2018, foi o afastamento da agenda regulatória dos principais problemas do setor. Ao invés do foco no aumento da concorrência na produção/importação de petróleo e seus derivados e no acesso à infraestrutura logística primária, as propostas apresentadas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), até então, têm orbitado justamente no elo da distribuição, etapa em que se verifica competitividade nos setores de óleo e gás no Brasil”.

Texto completo disponível aqui.